ESCUTAR AÚDIO
Utilize o player para reprodução:

Eu quero!

Comentário:

Narrativa pertencente ao acervo do projeto IFNOPAP (O Imaginário nas Formas Narrativas Orais Populares da Amazônia Paraense). Município: Belém Tema: Mentira Pesquisadora: Veruza Mourão Informante: Raimundo Cardoso Data: 16/09/1993

Transcrição:

“Eu quero ! ...”

Já que se trata, na história seguinte, de um padre e de um querer, convém lembrar o padre Antônio Vieira: "Quereis só o que podeis, e sereis  onipotente !  . . . " 


    Em S.  João de Pirabas, município de Salinas, existia um padre criando uns menino. Aí passou-se, passou-se, passou-se, com muitos anos, os me... os menino se virou...caíram tudinho , aí o outro chegou e disse :       
       - Padre, eu não quero ser padre. 
    - Não quer ser padre?
    - Não senhor. 
    Ele disse:
    - Eu quero andar o mundo. 
    Disse:
    - Quer andar no mundo?
    - Quero. 
    Ele disse:
    - Então eu vou lhe deixar a casa de seus pais. 
    Ele disse:
    - Se o senhor for me deixar na casa dos meus pais eu não vou andar o mundo. 
    E o pai do, do, do menino era muito rico, rico que não sabia o que possuía no mundo. Aí o padre fez o gosto do menino, foi deixar na casa dos pais. 
    Quando chegou na casa dos pais dele, aí o padre entregou o menino,  tudo bem, já rapaz.     
    Aí ele passou-se triste, não queria comer, não queria beber, não queria sair, nada. Não saía do quarto. 
    Aí o pai dele com a mãe dele foi e disse:
    - Meu filho, você vai resolver a sua situação, ou você vai estudar, ou você vai tomar conta das coisas dos seus pais. 
    Ele disse:
           - Não meu pai, me dê uma riqueza que eu vou correr o mundo, eu vou andar, vou conhecer muitas nação que eu não conheço nada. 
    Como ele já era bastante sabido, aí o pai deu uma importância boa pra ele. Aí ele disse:
    - Vou aos Estados Unidos. 
    Aí o pai ficou satisfeito que ele foi pros Estados Unidos. Não, ele pegou o carro e foi pra muitas léguas de distância. Aí quando ele chegou lá ele foi pra floresta. 
    Quando ele chegou na floresta só ele mesmo, andou, andou, andou que enjoou. 
    Quando era toda tarde, na proximidade de um campo, aí subia num olho do pau grande e dizia:
    - Eu quero! ...
    Com um prazo ali de uns cinco minuto, ele tornava  dizer, gritar:
    - Eu quero! ...
    Passavam outros cinco minuto, ele tornava a gritar:
    - Eu quero! ...
    Uma tarde, passa um caçador e ouviu aquela voz, aí ficou com medo. Ele só dava aqueles três gritos e ía embora. Aí ele foi lá numa capela que tinha, chegou lá, comunicou uma freira. Aí a freira ficou assim... e disse:  
    - É muito longe?
    Ele disse:
    - É uma boa distância, mas dá pra ir com o carro que o campo dá pra levar até lá perto. 
    Ela disse:
    - A gente pode ir amanhã. 
    Ele disse:
    - Pode. 
    Aí, quando foi no dia seguinte eles saíram, foram atrás da, atrás daquela voz. Aí chegaram lá, cedo ainda. Quando deu as cinco horas da  tarde, aquela voz. . .
    - Eu quero! ...
    Aí a freira ficou assim, escutando. Olhou no relógio com cinco minutos de novo:
    - Eu quero! ...
    Mas ele gritava do olho do pau grande, no centro. Aí ela escutou bem. Aí quando passou cinco minutos:
    - Eu quero! ...
    Ela disse:
    - Vamos embora,  vamos arrumar uma. . . um pessoal, vamos fazer uma procissão que isso é uma alma que está perdida, quer se salvar. 
    No dia seguinte, arrumaram dois caminhão grande, encheram de gente e foram pra lá. Quando chegaram lá, aí escutaram, estiveram, estiveram, aí quando faltavam poucos minutos pras cinco horas, aí acenderam cera tudinho e tal. Começaram a rezar. Aí aquela voz gritou:
    - Eu quero! ...
    Aí a freira tinha arrumado um padre, aí o padre falou:
    -Diz filho, se tu és da parte de Deus, o que que é que tu queres? 
    - Eu quero! ...
    -Diz filho, se tu és da parte de Deus, o que é que tu queres?
    - Eu quero! ...
    Aí. . . 
    -Diz filho, se tu és da parte de Deus, o que é que tu queres?
    Aí não disse mais nada. 
    Disse: 
    - Daqui pras, pra terceira  vez ele vai...essa alma vai responder. É porque se quer se salvar ou se não quer. 
    Quando foi no outro dia, foram de novo. Quando faltava poucos minutos, acendem as velas tudinho, começaram a rezar. Aí as freiras botavam aquele véu na cabeça tudinho. Aí. . . 
    - Eu quero! ...
    -Diz filho, se tu [vem] da parte de Deus o que é que tu queres? Você quer se salvar?
    - Eu quero! ...
    -Diz filho, se tu é das parte de Deus o que é que tu quer? Tu quer te salvar?
    - Eu quero! ...
    - Diz filho, se tu é da parte de Deus, o que é que tu queres?
    - Eu quero é  cagar.   

*Para execução correta do arquivo de aúdio, seu sistema deverá corresponder os requisitos necessários.